3 de out de 2011

Sede de Sangue (2009)

Título Original: Bakjwi
Ano: 2009
País: Coréia do Sul
Diretor: Park Chan-wook
Gênero: Terror
Elenco:
Kang-ho Song ... Priest Sang-hyeon
Ok-bin Kim ... Tae-ju
Hae-sook Kim ... Lady Ra
Ha-kyun Shin ... Kang-woo
In-hwan Park ... Priest Noh
Dal-su Oh ... Yeong-doo
Young-chang Song ... Seung-dae
Mercedes Cabral ... Evelyn
Eriq Ebouaney ... Immanuel
Hee-jin Choi ... Nurse
Woo-seul-hye Hwang ... Girl with a whistle
Hwa-ryong Lee ... Professor Ku
Mi-ran Ra ... Nurse Yu

Minha Opinião:

Park Chan-wook quase repete o mesmo feito cometido em “Lady Vingança”, começando bem e perdendo ritmo até o final. Acontece que em “Sede de Sangue” essa perca é apenas na metade, recuperando o gosto e nos presenteando com um desfecho digno, marcante e incrivelmente lindo. Lindo mesmo, não apenas pela fotografia, mas também pelo sentido metafórico que a cena transmite.

Ênfase nas atuações que são soberbas de tão artísticas. O cinéfilo visualiza o semblante do elenco e nota como ele leva o trabalho à sério, como é carismático. Há quem pense que os asiáticos são tímidos em assuntos sexuais, essas generalizações são desfeitas nesse bom filme, que impressiona também pela sua sedução encantadora, mesmo sanguinária. O ator Song Kang-ho, além de ter uma fisionomia muito agradável, trabalha com maestria (excelente também em Mr. Vingança), destaque igualmente para a Kim Ok-vin, fazendo uma reviravolta marcante nesse longa, como uma menina inocente no início e ultra-perversa no final, o efeito é grande que a gente torce para que ela morra de maneira bem trágica.

Opiniões variam muito em filmes, corroborando que não existe uma verdade exata sobre o resultado de uma produção (talvez nem na vida), mas a verdade de cada um que assiste e tira suas conclusões.

Park Chan-wook tem um estilo único em seu Cinema e geralmente a sua malícia, sua maldade, seu sarcasmo é bem patente no final, nos mostrando uma obra longe dos clichês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário