15 de out de 2011

A Bela e a Fera (1991)

Título Original: Beauty and the Beast
Ano: 1991
País: EUA
Diretores: Gary Trousdale, Kirk Wise
Gênero: Animação, Romance, Fantasia
Elenco:
Paige O'Hara (Bela)
Bobby Benson (Fera)
Richard White (Gaston)
Jerry Orbach (Lumiere)
David Ogden Stiers (Cogsworth / Narrador)
Angela Lansbury (Sra. Potts)
Bradley Pierce (Chip)
Rex Everhart (Maurice)
Jesse Corti (LeFou)
Hal Smith (Philippe)
Jo Anne Worley (Wardrobe)
Mary Kay Bergman (Bimbette)


Opinião:

“A Bela e a Fera” inaugurou bem a indicação ao Oscar de Melhor Filme para uma animação, pois foi o primeiro desenho a conseguir essa façanha. Quem assiste realmente entende o porque.
Clássico por vários motivos, o primeiro deles é devido a sua qualidade, a performance musical, capaz de marcar uma geração, e realmente marcou. Destaque enorme para a belíssima trilha composta por Alan Menken e Howard Ashman, cujo nome é o próprio título dessa primorosa pérola, uma obra-prima.

O Mundo Fantasia de “Beauty and the Beast” é grandioso de tão envolvente, uma enorme sensação de conforto e paz é encontrada ali, o clima sombrio, romântico, luz de vela, mistério, é de uma sensibilidade singular (dá uma boa vontade de ver em uma noite fria, no escuro do quarto e tomando um café bem quente. Possivelmente a maioria sente o mesmo).

Voltando a parte da sequência musical, talvez o que deixou a desejar foi a nova versão que ingressaram ao filme, chamada “Humano Outra Vez”. Bem patente que ficou aquém do produto original, tanto a canção como a coreografia, totalmente desnecessário esse acréscimo, tirou um pouco do brilho, porém, nada grave. Sem contar que essas animações da Disney são caçadas pelos fanáticos religiosos, dizendo que são obras de Satanás: Amam o mal e odeiam quem quer matar o mal.

Emocionante!

Enfim, “A Bela e a Fera” é um dos melhores trabalhos em animação já produzidos, recomendado para todas as crianças. Para quem não gosta de filmes dublados, deve reconhecer que nesses casos a dublagem é bem-vinda, pois as crianças ainda precisam do idioma familiar para construírem sentimentos, além delas ainda não terem habilidade de ler rápido. Repetindo: nesses casos a dublagem torna-se algo necessário e oficial. Entretanto, cinéfilo adulto ainda vendo filme dublado, oras, ainda faltas profissionalismo (Risos! Brincadeira!). 

Avaliação: Excelente.

Este vídeo é interessante porque tem todas as versões mais populares da música tema. Vale à pena conferir:






Um comentário:

  1. Só conhecia o enredo da história e vi o filme sem saber absolutamente nada sobre ele e confesso que me apaixonei, é mágico, encantado e muito romântico.

    ResponderExcluir